quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

FLÁVIO SPIRITO SANTO.

Rogério Coimbra.


Quando saiu o livro de Nelson Motta “ Noites Tropicais” em 2000, não perdi tempo e garanti um para mim. Na página 284 deslumbrei-me com o texto que assim começava: “ NO VERÃO de 76, em BÚZIOS, conheci um roqueiro capixaba, um bicho muito louco e de simpatia esfuziante, que usava o nome de guerra de Flávio Spiritu Santo (sic). Ele tinha uma banda de rock e veio com um papo de fazermos um festival em Saquarema, junto com um campeonato de surf, disse que conhecia o prefeito que já tinha um local (um estádio de futebol) e que sendo fora do Rio, seria mais fácil fazer...” Liguei e ele ficou meio de nariz em pé senti isso ao telefone pelo tom de sua voz e que não havia autorizado nada e coisa e tal. Nesta semana de dezembro de 2010, saiu na Revista de O Globo, matéria sobre o tal festival e justamente ele abre a matéria Liguei de novo. E aí ? De novo nas manchetes com o seu festival; compra O Globo. Ah, pensei que você tivesse ligado para me dar os parabéns antecipados pela vitória do Fluminense.


Flávio Rodrigues, um dia partiu para o Rio e não mais voltou à sua terra natal, Vitória. Instalou-se num apartamento na Buarque de Macedo, meio Flamengo, meio Catete, e lá permanece. É figurinha popular pelas ruas do bairro, sempre acenando e cumprimentando as pessoas, assim como ele é bastante saudado.
Trombei com ele outro dia no Largo do Machado e ele me falou de planos de gravar um DVD no Canecão. Pelo menos o Canecão fechou, para não frustá-los em seus sonhos roqueiros. Teve uma banda de rock nos anos 70 e fez dois discos independentes.


Adotou o nome Flávio Spirito Santo. Tornou-se o anônimo mais popular no mundo rock justamente devido aquele festival Som, Sol e Surf de Saquarema, em 1976. Emblemáticamente Saquarema abriga outra figura folclórica do rock: o velho Seguei, hoje com 77 anos e é mantido pela municipalidade como atração turística.

Flávio Spirito Santo não alcançou ainda esse status mas, bem que merecia, por manter acesa a luz de seus sonhos em ser um pop star, um Van Halen, por exemplo. O tempo nos dirá.

10 comentários:

  1. Flávio Spirito Santo tocou em Viçosa, em 1979,chegou em uma Kombi com uns músicos muito diferentes. Nunca me esqueci. Foi patrocinado por um Curso de inglês, Viva Flávio Spirito Santo

    ResponderExcluir
  2. Eu tinha os 2 LPs do Flavio Spirito Santo mas não tenho mais, gostaria q se alguem tivesse esses LPs colocasse um Torrent p/ compartilhar!!

    Fui no show do Flavio na quadra do Colégio Assunção em São Franciso - Niteroi meados de 87-88,, muito bom o som do cara, e ele tinha uma personalidade muito louca, muito legal o cara!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostaria de saber se o flavio ainda vive no rj.acredito q posso ser filho dele.
      Caio 48 999926189 (filho de margareth castanheiro )

      Excluir
  3. Eu fui nesse festival de Som Sol Surf de Saquarema...De dia o campeonato de surfe rolava na praia de Itaúna e à noite tinha o show de rock ao vivo no estádio de futebol. Lembro que além do Flavio Y Spirito Santo (tenho um vinil independente dele e é assim que está escrito), também tocava um tal de Bixo da Seda e outro grupo chamado Flamboyant. Tinha outros mas não me lembro. Enquanto o som rolava dentro do estádio, a polícia dava geral na rapaziada do lado de fora, a procura de drogas. Um ônibus que saiu de Niterói rumo a Saquarema só tinha malucos dentro...a rapaziada fumava bagulho dentro do veículo, sem se importar com o motorista e os outros passageiros. Um maluco escondia a erva maldita dentro de um ferro elétrico Black & Decker kkkkkk. Lembro também que uma kombi que vendia cachorro quente pegou fogo na porta do estádio e queimou a noite toda, sem nenhum bombeiro aparecer para apagar o fogo. Bons tempos aqueles...

    ResponderExcluir
  4. Cara,fui nesse festival em Saquarema, foi minha despedida de solteiro,pois me casaria no mês seguinte. Além do puta show do FLÁVIO e do Bixo da Seda ainda tocaram Rita Lee e Raul Seixas. O festival começaria numa sexta-feira , mas caiu um dilúvio e só rolou no sábado e domingo. Em tempo, estava no tal ônibus e acendi o primeiro...

    ResponderExcluir
  5. E ai pessoal , eu trabalhava na COTEC em 1982 quando esta figura raríssima, chegou com uma caixa de LPs debaixo do braço e dizia ser o melhor disco de rock da historia e que não demoraria ira estourar e superar Mutante e Raul etc o cara era muito doido cheio de sonhos e planos , ele acabou deixando alguns LPs consignados la com a gente só sei que trabalhei na COTEC ate 1996 e nunca mais vi o grande Flávio E S .

    ResponderExcluir
  6. Conheci o Flavio em Santo Aleixo, pois o meu pai Dorivaldo fazia suas propagandas, sempre que ele ia encomendar as propaganda trazia doce de leite pra mim e meus irmãos, gente boa.

    ResponderExcluir
  7. Eu tbm estava no tal ônibus...kkk...eu era uma menininha ainda , devia ter uns 14 aninhos. Fiquei acampada em Itaúna junto c um grupo de 10 q moravam no Méier e estavam no mesmo ônibus. Muito doidos!!!kkk... Fiz amizade c eles e curti aqueles dias maravilhosos c aquela turma. Me respeitaram e me protegeram como se eu fosse irmãzinha deles. Em agradecimento à boa hospitalidade eu acordava cedinho e ia comprar café pronto no bar do seu Manuel e a turma ficava toda feliz...eu dizia a eles q eu é q tinha feito, é claro..kkk...eles me abraçavam...bons tempos aqueles! Queria saber dessa turma, voltamos e nunca mais vi ninguém. Saquarema bombava...faltou comida na cidade e até a fila do pão na padaria rodava o quarteirão...muita gente dormia na rua, pelas calçadas, enrolados em seus cobertores, coisa de louco... o rock rolava solto e eu nem imaginava q um dia iria conhecer o Flávio, mas ele estava lá, marcando presença naquele festival inesquecível... ele e muitos outros , como Raul Seixas e Rita Lee. Os anos se passaram, porém, continuei frequentando Saquarema , onde moro até hj. Mas nos meados de 81, 82, quando eu fazia faculdade d Educação Física na UFRJ eu trabalhei de garçonete um tempão no Restaurante Natural de Ipanema, trabalhei nas outras filiais tbm, mas foi nesse Natural de Ipanema, da Barão da Torre q eu conheci vários artistas hj consagrados na mídia. Um deles q eu tive o maior prazer d conhecer e se tornou mais q um amigo, foi o Flavinho...ele ia lá vender seus discos e depois jantava o prato da casa "Natural". Fizemos uma linda amizade...a gente saía d lá do Restaurante, ele me esperava fechar o caixa por volta de 23 horas e íamos pro Baixo Leblon juntos, ele vendia muitos discos no boca a boca, era incrível a sua facilidade em fazer amigos, levei vários discos dele p vender na faculdade e vendi muitos, até c dedicatória! Meus amigos pediam... Ele era o máximo! Muito inteligente e sempre bem humorado! As pessoas ouviam seu disco e amavam d cara suas músicas loucas, e seu rock divertido! Q saudade ...gostaria d saber dele...ñ sei onde anda..procurei hj pelo seu nome, na esperança de encontrá-lo e encontrei esse post...ele merecia q fizessem um documentário sobre ele, assim como fizeram com Serguei. E sabem d uma coisa...Saquarema nunca mais foi a mesma depois desse festival de rock! Só nos resta lembrar desses bons tempos, e foram realmente bons , grande Flávio! Q Deus o proteja e o ilumine onde vc estiver...e q um dia possa ler isso aqui... Bjs da Leilinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostaria de saber se o flavio ainda vive no rj.acredito q posso ser filho dele.
      Caio 48 999926189 (filho de margareth castanheiro )

      Excluir